Your world of Wpdance.com, Wpdance.com by WpDance

Home » Outros Textos » Dicas Literárias » Os sete enredos básicos do cinema
12 Nov 2013

Os sete enredos básicos do cinema

Postado por em Dicas Literárias 103 0

Você sabia que, não importa de qual filme estejamos falando, todos eles vêm de sete modelos básicos? Conheça-os e saiba porque é tão difícil ser realmente original.

Quase todas as histórias já escritas derivou de um conjunto de sete arquétipos básicos. Por isso, se você assistir um filme e ficar com aquela sensação de déjà vu, não se preocupe, você certamente já viu algo semelhante mesmo. Pelo menos na essência.

Em seu livro The Seven Basic Plots: Why We Tell Stories, o jornalista britânico Christopher Booker defende essa tese.

Veja quais são e nunca mais assista filme (ou leia livros) com os mesmos olhos:

1 – A Busca

O modelo A Busca (The Quest) é uma história que gira em torno do protagonista central que se esforça para encontrar algo muito importante e, muitas vezes distante. O herói não pode descansar até que essa tarefa tenha sido concluída. Ao longo desta jornada, o ele irá enfrentar os obstáculos e as forças de tentam impedi-lo de atingir seu objetivo.

Exemplos: “O Senhor dos Anéis”, “Apocalypse Now”, “Indiana Jones e os Caçadores da Arca Perdida”.

2 – Viagem e retorno

Assim como A Busca, a história e o tipo de retorno é em torno de uma viagem. Nesse tipo de trama, o herói é transportado para outro mundo e depois volta. Nesta viagem o protagonista aprende coisas que lhe dão uma compreensão mais profunda de si mesmo e do mundo ao seu redor.

Exemplos: “Alice no País das Maravilhas”, “Gulliver”, “De volta para o futuro”, “O Mágico de Oz”.

3 – Renascimento (Rebirth)

No tipo de história de renascimento o protagonista é muitas vezes submetido a algum feitiço obscuro ou instigada pelo próprio ou uma força exterior. A libertação só pode ser alcançada através das ações de outras forças do bem. Nesse tipos de história o poder redentor do amor pode ser uma força libertadora. O que é impressionante sobre o tipo de história é que a prisão ddo protagonistas é derivada de algo de dentro de sua própria psiquê.

Exemplo: “A Bela e a Fera”.

4 – Comédia

Definir o arquétipo da Comédia é problemático nos tempos modernos, o termo passou a significar simplesmente tudo o que é engraçado. Portanto histórias construídas a partir de outros tipos de terreno básico tem sido erroneamente denominado comédias.

Aristóteles descreveu como comédia as histórias que mostram as pessoas piores do que são e como tragédia as histórias onde as pessoas maiores do que são.
Na definição clássica de Comédia os personagens são levados a um estado de confusão e trevas em que a resolução só pode acontecer quando estes fatores são levados ao extremo.

Exemplo: “Se Beber Não Case”.

5 – Tragédia

Na tragédia aristotélica o personagem central é um indivíduo (geralmente de grande status), que passa por uma série de ações e decisões que involuntariamente provoca sua própria queda. Esta queda supostamente provoca sentimentos de piedade e medo na platéia e no final há uma catarse, que é às vezes chamado de “purificação” da emoção.

Exemplos: “Hamlet”, “Paixão de Cristo”.

6 – Superar o monstro

Na histórias de superação do monstro o herói (ou heróis) precisam superar uma obscura criatura/ pessoa / entidade do mal que exerceu uma força maligna destrutiva sobre um lugar, pessoas ou povos.

Exemplos: O Silêncio dos Inocentes, Drácula, Tubarão.

7 – Da miséria à riqueza (Rags to Riches)

Na Rags to Riches a personagem central é aparentemente arrancada a partir do nada para a grandeza que ele/ela seja muito rica e muitas vezes de status social único. Neste tipo de história, o herói muitas vezes alcança muito rápido o sucesso que é rapidamente tirado dele/dela. Para que ele/ela reconquiste esse estado o protagonista deve muitas vezes derrotar um inimigo de algum tipo.

Exemplos: “Aladdin”, “Cinderela”.

Fonte: Suite101

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Leave Your Comment

Your name *

Your website

Your comment *

* Required Field

  • Siga-nos no TWitter

  • Entre Linhas

    Teste

    Teste

    teste

    teste

    teste

    teste

Email
Print